domingo, 22 de março de 2020

[ESPECIAL] 40 filmes para ver na quarentena




Para quem tem o privilégio de ficar em casa, segue um especial com 40 filmes para assistir na quarentena. Vale à pena aproveitar esse período para repensar nosso modo de vida, nossas relações sociais, a política ou mesmo viajar na filosofia, na ficção científica e no existencialismo humano.

São filmes pra rir, chorar, distrair, se assustar, sonhar e pensar. Inclusive pensar no que fazer para ajudar quem não tem o mesmo privilégio de ficar em casa com segurança.

O torrent para download está no link de cada filme.

Bom confinamento!

A criada (Sebastián Silva) – Chile (2009)
A primeira vítima fatal do coronavírus no Brasil foi uma trabalhadora doméstica infectada pela patroa no Leblon. A criada faz refletir sobre a condição existencial dessas mulheres...

Roma (Alfonso Cuarón) - México / EUA (2018)

... e os conflitos sociais que envolvem essa relação. Por isso, cuide de quem cuida de você!

A morte do sr. Lazarescu (Cristi Puiu) – Romênia (2005)

A peregrinação de um paciente em busca de atendimento revela as condições de um sistema público de saúde negligenciado e o desafio de seus profissionais.

Umberto D. (Vittorio De Sica) – Itália (1952)

Uma Itália arrasada. Uma Previdência Social sucateada pelo governo. Um idoso e um cachorro.

O Anjo Exterminador (Luis Buñuel) - México (1962)

O drama existencial de um grupo impedido de abandonar um jantar e as máscaras sociais que vão caindo diante desse confinamento.

Lista de espera (Juan Carlos Tabío) – Cuba (2000)

O humor de um grupo confinando num terminal rodoviário de uma cidadezinha e as soluções coletivas diante do caos.

Isto não é um filme (Jafar Panahi) – Irã (2011)

O protesto de um cineasta confinado em prisão domiciliar e o cinema como forma de libertação diante da censura.

Dente canino (Giorgos Lanthimos) – Grécia (2009)

A psicopatia de pais que confinam suas filhas do convívio social e a tensão que vai crescendo até explodir.

Louca Obsessão (Rob Reiner) - Estados Unidos (1990)

A obsessão de uma fã e o pavor de um escritor confinado em cárcere privado.

Janela Indiscreta (Alfred Hitchcock) – Estados Unidos (1954)

O confinamento pode levar ao tédio... o tédio pode fazer você querer espiar a vida alheia... e flagrar algo sinistro.

 

O homem ao lado (Gastón Duprat; Mariano Cohn) – Argentina (2009)

Por isso é bom não ter um vizinho pentelho...

 

Um dia muito especial (Ettore Scola) – Itália (1977)

... com quem você possa ter uma experiência marcante.

 

Sociedade Alternativa (Jonathan Berman) – Estados Unidos (2005)

Viver em comunidade pode ser uma boa experiência...

A Comunidade (Thomas Vinterberg) - Dinamarca (2016)

... ou não.

Ela (Spike Jonze) – Estados Unidos (2013)

É que nos dias de hoje, a tecnologia e o vazio podem lhe jogar na solidão, mesmo estando rodeado de pessoas.


Amor (Michael Haneke) – Áustria (2012)

Por isso é que tão forte ter um amor que esteja ao seu lado até a hora da partida.

Estamos todos bem (Giuseppe Tornatore) – Itália (1990)

Na torcida para que os pais e filhos e a Itália fiquem logo bem.

A viagem para o mar (Guillermo Casanova) – Uruguai (2003)

E que quando tudo isso passar, aproveitemos a vida que nos resta para ter experiências inéditas, independente da idade.

Viver (Akira Kurosawa) – Japão (1952)

Porque a vida é uma só, o tempo é curto e o mundo é grande.

Sr. Ninguém (Jaco Van Dormael) - Bélgica (2009)

Já pensou se você fosse o último mortal da Terra numa sociedade habitada por imortais?

Os 12 Macacos (Terry Gilliam) – Estados Unidos (1995)

Já pensou se você recebesse a missão de voltar ao passado para impedir que um vírus destrua boa parte da humanidade?

Stalker (Andrei Tarkovsky) – União Soviética (1979)

Já pensou em uma zona misteriosa do planeta onde humanos sejam proibidos de entrar?

Juan dos Mortos (Alejandro Brugués) – Cuba (2011)

Já pensou se zumbis invadissem Havana?

Turista Espacial (Coline Serreau) – França (1996)

Ou se uma extraterrestre pousasse em Paris para entender como os terráqueos vivem?

O enigma de outro mundo (John Carpenter) – Estados Unidos (1982)

Mas e se esses alienígenas não fossem tão bonzinhos!?

O menino da bolha de plástico (Randal Kleiser) – EUA (1976)

E como seria ter que viver confinado em uma bolha por ter um sistema imunológico frágil, que lhe impede de entrar em contato físico com outras pessoas?

Sexo com amor (Boris Quercia) – Chile (2003)

Apesar de que no confinamento dá pra fazer bastante coisa....

$9.99 (Tatia Rosenthal) – Israel / Austrália (2008)

... como pensar no sentido da vida...

Sonata de Outono (Ingmar Bergman) – Suécia (1978)

... ou nos seus traumas e dramas pessoais...

O Guia Pervertido da Ideologia (Sophie Fiennes) - Irlanda (2012)

... com uma pequena dose de filosofia.

Waking Life (Richard Linklater) – Estados Unidos (2001)

Até por que, uma crise existencial de vez em quando não faz mal a ninguém...

O estranho mundo de Zé do Caixão (José Mojica Marins) – Brasil (1968)

... pelo contrário, nos ajuda a dar sentido à vida e à morte.

O sal da Terra (Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado) – França (2014)

E nos permite refletir sobre o nosso lugar no mundo.

Powaqqatsi - A Vida EmTransformação (Godfrey Reggio) - Estados Unidos (1988)

E enxergar a sociedade que estamos construindo e deixando de herança.

O Prisioneiro da Grade de Ferro (Paulo Sacramento) – Brasil (2004)

Onde seres humanos são tratados como bicho, no Brasil...

A 13a Emenda (Ava DuVernay) - Estados Unidos (2016)

... e no exterior.

Clube de Compras Dallas (Jean-Marc Vallés) – Estados Unidos (2013)


Onde o lucro está acima da vida das pessoas...

A Doutrina de Choque (Mat Whitecross e Michael Winterbottom) - Inglaterra (2009)


... e das nações.

As hiper mulheres (Takumã Kuikuro, Carlos Fausto, Leonardo Sette) – Brasil (2011)

Mas toda essa reflexão também pode nos ajudar a construir outras possibilidades de existir e viver em sociedade.

Bingo: O Rei das Manhãs (Daniel Rezende) - Brasil (2017)

Além de aprendermos a ter mais responsabilidade com o nosso voto.


6 comentários:

  1. Muchas gracias de Italia por estas sugerencias :-)

    ResponderExcluir
  2. Quando começou a quarentena e eu ainda estava levando o apocalipse com bom humor comecei com Juan de los Muertos, filmaço! Aliás, lista incrível, todo um recorrido temático e de meditações maravilhoso. Obrigada por deixar minha distopia mais interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha... eu que agradeço seu comentário! Se assistir algum filme que estimule a distopia, pode me indicar...o momento tá propício a exercitamos distopias e utopias...
      abraço!!!

      Excluir
  3. Muitíssimo grato. Sou fã do blog!

    ResponderExcluir