sexta-feira, 2 de outubro de 2015

10 (melhores) diretores da Europa

Esses não são os 10 melhores diretores da Europa. Nessa lista, não entraram diretores de alguns países que receberam uma lista própria: Alemanha, Espanha, França, Grã-Bretanha, Itália e países do Leste Europeu.

Dos países que sobraram, considerei apenas os diretores ainda vivos. Por conta disso, ficaram de fora nomes importantes como o do português Manoel de Oliveira, do grego Theo Angelopoulos, do dinamarquês Carl Theodor Dreyer e do sueco Ingmar Bergman.

Abaixo, portanto, segue alguns dos melhores diretores europeus na atualidade.

1. Lars von Trier (Dinamarca)
Um dos diretores mais importantes do cinema mundial. Cada nova lançamento gera uma expectativa enorme no público, cada mais provocado e testado pelo diretor. Os filmes de Lars von Trier reúne um misto de primor técnico, experiência na linguagem e teste à sensibilidade e à moral dos espectadores. É dele: As cinco obstruções; Ninfomaníaca v. 2; Melancolia; O elemento do crime; Manderlay.





2. Luc Dardenne e Jean-Pierre Dardenne (Bélgica)
Os irmãos belgas sabem chegar no fundo do drama de uma pessoa qualquer, como poucos. São filmes crus, com técnicas aparentemente simples, mas com uma câmera especial, que consegue captar as angústias de seus personagens. São deles: A Criança; Rosetta; Dois dias, uma noite.


3. Michael Haneke (Alemanha)
É o alemão mais austríaco. Por conta disso, ele não entrou na lista da Alemanha, já que na sua filmografia predominam obras da Áustria, país onde ele foi erradicado. Um dos diretores mais premiados da Europa, com obras duras, dramas pesados e alguns desconfortáveis. É dele: Amor; Caché.







4. Paul Verhoeven (Holanda)
Um dos maiores diretores holandeses da história, provocador e impactante. Há muitos anos que Verhoeven cravou seu espaço em Hollywood e, desde então vem produzindo obras estadunidenses odiadas por uns, cultuadas por outros. É dele: Soldado de Laranja, RoboCop, Instinto Selvagem e A Espiã.







5. Miguel Gomes (Portugal)
Uma das maiores promessas do cinema europeu na atualidade. Se lançou com A cara que mereces, chamou atenção com Aquele querido mês de agosto e se firmou com Tabu. É um diretor que tenta extrair na linguagem cinematográfica todo o seu potencial.








6. Aki Kaurismäki (Finlândia)
Um diretor que sabe tratar os dramas, a melancolia e até os conflitos sociais com extrema leveza. Outro bom nome do cinema europeu. É dele: O Porto.









7. Lukas Moodyson (Suécia)
No país de Bergman, é grande a responsabilidade de qualquer novo diretor. Mas Lukas Moodyson tem dado conta do recado, com seus dramas fortes e de impacto. É dele: Bem-Vindos, Para sempre Lilya e Nós somos os melhores.








8. Hans Petter Moland (Noruega)
Diretor pouco conhecido e talvez subestimado. Mas com obras muito bem avaliadas. É dele: Um homem um tanto gentil.










9. Yorgos Lanthimos (Grécia)
Outra boa promessa do cinema europeu. Ganhou destaque com Dente Canino, criando uma expectativa grande em muita gente.










10. Alain Tanner (Suíça)

Apesar de não ter lançado nenhum filme nos últimos tempos, Alain Tanner é um dos principais nomes do cinema suíço. É dele: A cidade branca; Jonas que terá 25 anos no ano 2000.

6 comentários:

  1. Oxi! Cadê Pedro Costa? Nuri Bilge Ceylan?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atraixxxxxxx diiiiiii vuuuuuuuuxxeeaan!

      Excluir
    2. De Portugal, acompanho mais o Miguel Gomes e tenho gostado. Já o Nuri Bilge eu não conhecia. Valeu pela dica.
      Az

      Excluir
    3. De Pedro Costa tem o excelente Juventude em Marcha. De Ceylan comece com Três macacos.

      Excluir
    4. Pronto, já tá na lista.
      Valeu!
      Az

      Excluir
  2. Gosto Muito do Miloš Forman, acho que ele deveria estar na lista!

    ResponderExcluir