quarta-feira, 1 de julho de 2015

10 (melhores) diretores e diretora dos Estados Unidos (até 50 anos)

Fazer um Top 10 dos diretores e diretoras estadunidenses seria perda de tempo. Primeiro porque o leque de bons nomes é enorme e fazer uma pesquisa para selecionar 10 levaria muito tempo. E segundo que inevitavelmente cairia nos clássicos e já consagrados diretores, de conhecimento de todo mundo.

Por isso, a escolha por filtrar por idade - para não chover no molhado com os nomes mais tradicionais - e buscar diretores e diretoras mais jovens. Portanto, o Top 10 dos Estados Unidos traz talentos nascidos a partir de 1965, com até 50 anos. Estão na lista diretores “clássicos” e algumas promessas.

E antes que alguém pergunte, Tarantino tem 52 anos, Ethan Coen tem 57 e Joel Coen 60.

1. Paul Thomas Anderson
Diferenciado. As técnicas usadas por PTA são de um primor que poucos diretores de Hollywood têm a ousadia de usar. E o que falar de seus planos-sequência!? Inspiradores. É de Paul Thomas Anderson os medianos Jogada de Risco e O Mestre, os excelentes Boogie Nights e Embriagado de Amor, o grandioso Sangue Negro e genial Magnólia.







2. Spike Jonze
Com 45 anos, o diretor já cravou seu nome como um dos melhores do cinema. Poderia até encabeçar esta lista. O ex-esposo de Sofia Coppola já fez obras geniais, como Quero ser John Malkovich e Adaptação, logo no início de sua carreira. Depois, passou por Onde vivem os monstros e Eu estou aqui. E sua última obra foi o premiadíssimo Ela.






3. Wes Anderson
Um dos diretores estadunidense mais originais da nova geração. Suas cores e seus personagens são únicos. Dá pra bater o olho e identificar “esse é de Wes Anderson”. Algumas de suas mais importantes obras são: Os Excêntricos Tenenbaums, Viagem a Darjeeling, O fantástico sr. Raposo, Moonrise Kingdom e O grande hotel Budapeste.







4. Darren Aronofsky
Com 46 anos, o diretor tem se tornado um dos principais nomes de Hollywood, inclusive com indicações ao Oscar. No entanto, seus filmes não se limitam ao padrão hollywoodiano, sendo capaz de produzir obras mais “viajadas”, como Cisne Negro e Pi (seu filme de estreia). É dele, também, Fonte da Vida e O Lutador. No entanto, o seu destaque é por Réquiem para um sonho, um dos melhores filmes da nova safra.





5. Sofia Coppola
Filha de peixe... Com um estilo bem diferente do pai, mas já demonstrando muito talento e originalidade, Sofia tem se distanciado cada vez mais do peso do sobrenome e construído sua própria identidade. Ela ainda não estourou, não emplacou nenhuma obra genial, mas isso é questão de tempo. É dela: As virgens suicidas, Encontros e Desencontros, Maria Antonieta, Um lugar qualquer e Bling Ring.





6. Jeff Nichols
Apenas 36 anos e três obras muito elogiadas, que fazem muita gente apostar em Jeff Nichols como o mais promissor da nova geração. Separados pelo sangue, O abrigo e Amor bandido são os filmes que fizeram despertar a curiosidade e criar expectativas em cima do diretor.







7. Mike Cahill
Outro diretor promissor. Fez O rei da Califórnia, A outra Terra e O Universo no Olhar. Cada novo filme considerando melhor que o outro. Numa crescente. Outro nome para ficar de olho. Cahill tem 35 anos.









8. John Singleton
Com 47 anos, o diretor já começou estourando com Os donos da rua. Construiu sua carreira abordando questões raciais e de violência urbana, filmes fundamentais para a sociedade estadunidense ver. Em compensação, Singleton caiu no lugar comum e produziu alguns blockbusters muito mal avaliados, como + Velozes e + Furiosos e Sem saída. Mas ainda tá em tempo de retomar a sua carreira, muito bem iniciada.





9. James Grey
Nome pouco conhecido na atualidade e nem de longe é uma unanimidade. Enquanto alguns apostam em sua carreira, muita gente não vê nenhum talento excepcional. Bom ou não, é um diretor para conhecer melhor e ficar de olho. É dele: Caminho sem volta, Os donos da noite, Amantes e Era uma vez em Nova York.







10. Antoine Fuqua

Definitivamente não faz o meu tipo de filme, sobretudo os de ação típicos de Hollywood. Mas, não dá para não reconhecer que sua filmografia é muito elogiada pelos amantes do gênero. Quase chegando nos 50, Fuqua é um nome que merece ser citado. É dele: Dia de Treinamento, Lágrimas do Sol, Atirador e O protetor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário