sexta-feira, 12 de junho de 2015

53 – O sal da Terra (Le sel de la terre) – França (2014)


Direção: Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado
Nos últimos 40 anos, o fotógrafo Sebastião Salgado tem viajado através dos continentes, aos passos de uma humanidade sempre em mutação. Ele testemunhou alguns dos principais eventos da nossa história recente; conflitos internacionais, a fome e o êxodo. Ele agora embarca na descoberta de territórios imaculados, da flora e da fauna selvagem e de paisagens grandiosas como parte de um enorme projeto fotográfico. Uma homenagem à beleza do planeta.


As fotografias de Sebastião Salgado são um deleite. Capazes de provocar um misto de sensações, muitas deles indecifráveis. Angústia, surpresa, esperança, desesperança. Às vezes, a pura beleza das fotografias já bastam.

Revelar as fotografias de Sebastião Salgado é contar um pouco da história da humanidade, sobretudo com uma sensibilidade que só o olhar do fotógrafo e a magia do instante congelado da fotografia são capazes de contar, e noticiário ou historiador algum saberia transmitir.

O filme acaba sendo um presente de Wim Wenders para Sebastião Salgado, e de ambos para a humanidade.


Download:
Torrent + Legenda

5 comentários:

  1. Ótimo documentário. Obrigado pela disponibilização.

    ResponderExcluir
  2. Olá Az!
    Já disseram que fotografar é escrever com luz, se assim for, já li, reli e ainda lerei exposições de Sebastião Salgado, a luz da sua escrita sempre deixa cega a minha voz.
    Parabéns pela postagem e pela apresentação, Salgado nos transporta mesmo para lugar das percepções inomináveis, onde as palavras perdem a força diante do gesto, do olhar, do tempo que se deixa capturar.
    O documentário é uma merecida homenagem.
    Carpe diem
    Abraços
    Soli

    ResponderExcluir
  3. Bota o título original em francês, cabeça: Le sel de la terre. (:

    ResponderExcluir
  4. Um dos filmes mais belos que vi nos últimos tempos. Me provocou profundas reflexões.

    A ideia de fazer o trabalho intitulado Gênesis, após trabalhar com a perspectiva do impacto do homem sobre a natureza e suas consequências de ordem social, ambiental e econômica, foi de grande sagacidade. Deu vontade de ter a obra completa.

    ResponderExcluir