segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

10 (melhores) diretores e diretoras da América Latina

Podem até nem ser os melhores diretores e diretoras da América Latina. Mas, dentre os que eu conheço, merecem destaque. A lista serve de referência para todos e todas que desejam conhecer um pouco mais sobre o maravilhoso cinema latinoamericano, que além de trazer ótimas produções, nos brinda com a cultura dos nossos hermanos e hermanas. Não incluí na lista cineastas brasileiros, que entrarão em uma lista específica.

Feliz 2015! Mais um ano do 366filmesdeaz começa hoje...



10 (melhores) diretores e diretoras da América Latina
por Alex Hercog (Az)



1. Alejandro González Iñarritu (México)

Nascido na Cidade do México, o diretor de 51 anos se destaca pela trilogia Amores Brutos, 21 Gramas e Babel. Iñarritu também já participou de alguns projetos coletivos, com curtas e médias para 11 de Setembro e Cada um com seu cinema. Em 2011, lançou outra grande obra, Biutiful. Seu filme mais recente é Birdman.






2. Juan José Campanella (Argentina)


O diretor argentino, de 55 anos, nasceu em Buenos Aires e tem no seu currículo 7 filmes. O primeiro, The Boy Who Cried Bitch é um trhiller pouco conhecido. Campanella se destaca pelo romântico O mesmo amor, a mesma chuva, o encantador O filho da noiva, o sedutor Clube da Lua e o incrível O segredo dos seus olhos. Seu trabalho mais recente foi Um time show de bola, lançado em 2013.






3. Andres Wood (Chile)
Nascido em Santiago, o diretor chileno possui uma filmografia curta, iniciada com Histórias de futebol, em 1997. Depois, dirigiu A febre do loco, até despontar com o aclamado Machuca. Após um filme de pouca repercussão, voltou a se destacar com Violeta foi para o céu, uma representação biográfica da artista Violeta Parra.






4. Juan Carlos Tabío (Cuba)


Nascido em Havana, o diretor cubano foi projetado com o belíssimo Morango e Chocolate. Seu filme seguinte, Guantanamera também fez muito sucesso. Suas últimas produções foram sátiras bem elogiadas. Tabío também participou da produção coletiva 7 dias em Havana.









5. Tania Hermida (Equador)


Nascida em Cuenca e professora na universidade de Guayaquil, a diretora possui apenas dois longas produzidos. Que tan lejos? e Em nome da filha são suas obras, que representam o Equador, suas estradas e sua cultura.








6. Mariana Rondón (Venezuela)


Mariana Rondón é mais uma promissora cineasta que, com apenas dois filmes realizados, já se mostra uma diretora de talento. Nascida em Caracas, é dela Postais de Leningrado e Pelo Malo.









7. Jorge Sanjinés (Bolívia)
Nascido em La Paz, o diretor boliviano se destaca pelos filmes políticos, que representam as comunidades indígenas tradicionais da Bolívia. É dele O sangue do condor, um clássico do cinema boliviano.








8. Fernando Solanas (Argentina)


O cineasta de 78 anos nasceu em Buenos Aires e possui 8 obras em sua filmografia, que se destacam pela representação política da Argentina e da América Latina. É dele Memórias do Saqueio, um documentário feito no auge da crise argentina do início do século. Seus dois últimos filmes também seguem essa linha representativa.






9. Pablo Larraín (Chile)


Nascido em Santiago, o jovem diretor de 38 anos já realizou quatro longas. Foi com o premiado e indigesto Tony Manero que Larraín despontou, mas sua principal obra foi No, lançada em 2012.









10. Carlos Moreno (Colômbia)


Natural de Cali, o cineasta é autor de Cão come cão. Também possui em sua filmografia novela, série e mais dois filmes, o mais recente aborda o cartel do narcotráfico colombiano.

2 comentários:

  1. Eie Az!
    Tá certo... Nem vou questionar esses diretores que defendem bem o cinema que fazem. Aqui em casa é voto unânime, apesar de ser um cinema diferente, nessa lista faltou o mago chileno Alejandro Jodorowsky.
    Estou piorando sensivelmente tsc tsc , além de comentarista, agora palpiteira rsrsrs.
    abraço
    Soli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no auge da minha ignorância, desconhecia esse diretor. Bom saber que existem mais nomes fundamentais na nossa cinematografia. Tá na lista para ser descoberto!!!
      Obrigado Soli
      abraço,
      Az

      Excluir