sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

114 – Ninfomaníaca – volume 2 (Nymphomaniac – volume 2) – Dinamarca (2014)


Direção: Lars von Trier
Segunda parte das aventuras sexuais de Joe (Charlotte Gainsbourg), uma mulher de 50 anos que decide contar a um homem mais velho (Stellan Skarsgard) sua história pessoal.




Ainda mais ousado, Lars von Trier provoca o espectador em Ninfomaníaca 2. Em cena, um personagem ouvinte que representa as mentes, olhos e desejos de quem assiste. Até que pontos somos solidários ou indulgentes com a personagem viciada em sexo que nos expõe a sua vida? Até que ponto fingimos querer ver a obra com um olhar isento de preconceitos ou de oportunismo? Até onde fomos ver Ninfomaníaca com a expectativa de encontrar cenas de sexo que nos excitassem? Até que ponto somos escrotos? Até que ponto nossa expectativa por sexo prejudicou nossa compreensão sobre diversos conflitos expostos? Até que ponto merecíamos levar um tiro?



Download:
Torrent + Legenda
(Torrent inclui Ninfomaníaca volume 1 e volume 2)

2 comentários:

  1. Az que covardia, eu aqui sem tempo, mas como não postar algo sobre o genial, louco, polêmico e indigesto Lars? Como não dizer que esse gênio deve ter uma cabeça cheia de labirintos onde escancara a portas que vão dar em outros labirintos?
    Ele é provoca extremo. Gente detesta gente adora, mas difícil é passar por ele indiferente ou negar que ele se reinventa e reinventa o cinema que faz.
    Pois é, ele sempre me dar o que pensar, gosto de seus filmes, são boas portas para debater e entender esse olhar sobre a percepção humana. Seus filmes são mistura de loucura e lucidez. Nessa mistura fui Aprendendo desaprendendo.
    Vi no arrebatado Dançando no escuro, embalada pela voz da Bjork, que a cegueira de Selma é poesia diante cegueiras desumanas, institucionalizadas, absurdas e cruéis. Em Dog Ville, que cenário pode ser um fechar de olho para exterior, e que arrogância humildade podem apresentar a mesma face Aprendi com Manderlay que a humanidade caminha por heranças dicotômicas, uns herdarão os outros. Aprendi com Melancolia que quando o mundo do adaptado desaba aqueles que foram convivendo com a sua não adaptabilidade à vida normal podem servir de guia.
    E agora que dizer de Ninfomaníaca, tinha visto tantas críticas negativas até pensei que o Lars tivesse ido longe demais e se perdido no mar do demasiado humano, sem encontrar o caminho de retorno. Enfim acabei vendo e deveria ter visto antes. Se Ninfomaníaca estava abarrotado de cenas de exageros de todos os tipos, a humilhação, a compulsão, o cinismo e a hipocrisia, tenham sido na medida para dar a dimensão da dor, da cratera do vazio, da devastação que se pode ter uma alma humana.
    Enfim depois de tanta aprender e desaprender, só precisava aprender não escrever comentários tão longos.
    Abraços
    soli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha
      eu é que preciso aprender a escrever comentários tão completos!
      escrever qualquer coisa que complemente o seu, seria desnecessário. tá tudo dito.
      :)
      abração,
      Az

      Excluir