quinta-feira, 27 de novembro de 2014

105 – O Baile (Le Bal) – Itália (1983)


Direção: Ettore Scola
Sem diálogos, o filme conta parte da história da França, da década de 1930 à década de 1980, a partir dos personagens reunidos em um salão de dança. Através das recordações das pessoas, da música e da dança, o filme traça um panorama da evolução do país, da ocupação nazista ao surgimento do rock'n'roll.


Eduardo Coutinho, o gênio do documentário brasileiro, dizia que uma de suas técnicas de criação era criar suas próprias prisões, estabelecer seus próprios limites. Ou seja, “vou filmar a favela tal, ou moradores do prédio tal, só religiosos de uma mesma comunidade, etc”. Enfim, determinava seu recorte e a partir disso, criava.

Não sei como funciona o processo criativo de Ettore Scola, mas garanto que ele é um gênio, dentro de sua própria prisão. Em A Família, a câmera está dentro da casa – o espaço físico é o seu limite – e sem nunca sair de lá, o filme acompanha a transformação de uma família, que vai atravessando gerações.

Em O Baile, a prisão estabelecida é ainda mais desafiadora. Ettore não apenas repete o limite físico – a câmera nunca sai do salão de dança – como elimina qualquer diálogo verbal. Não há uma vogal dita entre os personagens e, no entanto, eles estão em constante interação. A sensibilidade do filme é extraordinária. A expressão facial e, sobretudo, corporal dos atores é uma aula.

Ettore consegue contar, sem dizer uma palavra, um fragmento da sociedade ocidental do século XX. Apenas com músicas e sons de bombas. Apenas com corpos e rostos. Apenas com sua genialidade.


Download:
Torrent

2 comentários:

  1. O Scola é mesmo um gênio,um dos maiores diretores de todos os tempos .Já assisti a quase toda a sua filmografia e não há nada que não seja , no mínimo, muito bom.Com relação a esse aspecto da filmagem em um único ambiente, que é literalmente, "tirar leite de pedra", gostaria de lembrar do " O Jantar" de 1998 que segue essa mesma orientação e tem ainda o Gassman mostrando porque se tornou um dos maiores atores italianos de todos os tempos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não cheguei na filmografia completa, estou indo aos poucos, mas cada vez mais tenho a certeza de que se trata de um gênio. Ainda não vi "O Jantar"... vai pra lista!
      abraço,
      Az

      Excluir