terça-feira, 1 de outubro de 2013

Top 10 - OUTUBRO




A vida de uma criança dura 24 horas. Ela nasce quando acorda e morre quando vai dormir. Pra depois nascer de novo.



Da minha janela eu ouvia duas meninas conversando e falando mal de Júnior. Prometiam nunca mais brincar com ele. Antes das 5 eles já estavam correndo no esconde-esconde. Tinha que ser. Como poderiam dormir sem nunca mais brincar?



Adultos duram mais. Levam anos. Estão sempre postergando. Param de fumar para adiar o câncer. Correm sem sair do lugar, numa academia, para poderem correr na orla aos 80. Cuidam da alimentação, rezam e brigam. Pois sabem que podem adoecer, ir para o inferno, e algum dia fazer as pazes.



Já as crianças, sabem que tudo vai acabar. E logo. É preciso correr o máximo que o corpo aguentar, encardir a roupa, comer o que não presta, futucar o que não permitem, brincar com o amigo até terminar em briga, reatar, e descobrir algo novo. E logo. Pois a noite vem e tudo se tornará passado. Seu único momento de temor é quando dizem que um ser invisível lhe punirá por tudo que ela fez durante o dia.



Já os adultos, temem durante a vida, pois acham que se tornarão crianças depois de mortas. Que poderão brincar com anjos. Que correrão livremente por jardins e viverão eternamente.



Adultos carregam cicatrizes. As crianças, no máximo, uma pereba no joelho.



As crianças não guardam mágoa. Resolvem seus problemas na hora. Choram quando querem e sorriem mesmo quando não querem. Quer desarmar uma criança? Faça ela sorrir. Sorriu, perdeu. Acabou a credibilidade. A teimosia já não adianta mais. Está feita as pazes.



Crianças vivem no presente. Adultos inventaram até o pretérito imperfeito.



Crianças mentem. E a gente sabe que ela está mentindo. E ela sabe que a gente sabe que ela está mentindo.



Adultos falam a verdade. E a gente desconfia, achando que ele está mentindo.



O choro da criança é fajuto. Mas ainda assim a gente faz o possível para que ela pare. De uma chinelada a um seio.



Adultos, quando choram, ou dói na gente ou agimos com indiferença. Até um ponto que dói tanto, que a gente passa a agir com indiferença.



Adultos escrevem. Crianças desenham.



As crianças querem ser adultos. Os adultos lembram que eram felizes e não sabiam.



Crianças leem o Maurício de Souza para fantasiar. Adultos ouvem o William Bonner para se informar. E leem o Reinaldo Azevedo para ter opinião. Crianças criam suas próprias histórias.



Crianças confiam de uma forma extraordinária. Sabem que não importa o que aconteça, sabem para onde correr, para quem recorrer. Ela sempre estará protegida. Sabem que bastam algumas horas para que a noite venha e tudo se vá.



Adulto vai dormir pensando no dia de amanhã. Todos os dias. As crianças, simplesmente dormem. De uma hora pra outra.



Crianças ligam o foda-se e são felizes.



Adultos frequentam psicólogos, tomam remédios, bebem, viram hippie, jogam o celular na parede, lutam boxe, fazem yoga, viajam pra Chapada e votam nulo. Tudo isso só para ligarem o foda-se e serem felizes.



Alguém cai. A criança morre de rir.



Alguém cai. O adulto precisa descontruir a lógica de rir do outro.



Alguém morre.



Alguém morre. O adulto chora durante o dia até secar o corpo. Toma um remédio para dormir. Amanhece e é preciso assinar laudos, pagar empresas, convidar pessoas e realizar um evento. Depois, repensar toda a vida, relembrar a vida e se apoiar nela – a criança – para se conformar e seguir em frente.



Crianças têm sensações que adulto nenhum consegue ter novamente. O adulto sabe de coisas que a criança não faz a mínima ideia.



Uma criança muda a vida de qualquer um. Um adulto é capaz de mudar a vida de qualquer criança. Uma criança não sobrevive sem um adulto do lado. Um adulto não vive sem uma criança do lado.



Eu tenho sorte. Tenho adultas e crianças ao meu redor. Tenho amigos que terão crianças. Tenho crianças se tornando adultas. Tenho uma adulta com espírito de criança. E, como se não bastasse, ainda tenho um cachorro.



...



É por isso que o Top 10 de Outubro é dedicado a eles: os adultos e as crianças – sobretudo aos adultos que um dia foram crianças nas décadas de 1980 e 1990.


Loucademia de Polícia (Police Academy) – EUA (1984)
Direção: Hugh Wilson

 
*I - A criança desfrutará de todos os direitos enunciados nesta Declaração. Estes direitos serão outorgados a todas as crianças, sem qualquer exceção, distinção ou discriminação por motivos de raça, cor, sexo, idioma, religião, opiniões políticas ou de outra natureza, nacionalidade ou origem social, posição econômica, nascimento ou outra condição, seja inerente à própria criança ou à sua família.


 

Curtindo a vida adoidado (Ferris Bueller´s Day Off) – EUA (1986)
Direção: John Hughes

 
II - A criança gozará de proteção especial e disporá de oportunidade e serviços a serem estabelecidos em lei e por outros meios, de modo que possa desenvolver-se física, mental, moral, espiritual e socialmente de forma saudável e normal, assim como em condições de liberdade e dignidade. Ao promulgar leis com este fim, a consideração fundamental a que se atenderá será o interesse superior da criança.

 



Te pego lá fora (Three O´Clock High) – EUA (1987)
Direção: Phil Joanou

 
III - A criança tem direito, desde o seu nascimento, a um nome e a uma nacionalidade.


 







Quero ser grande (Big) – EUA (1988)
Direção: Penny Marshall

IV - A criança deve gozar dos benefícios da previdência social. Terá direito a crescer e desenvolver-se em boa saúde; para essa finalidade deverão ser proporcionados, tanto a ela, quanto à sua mãe, cuidados especiais, incluindo-se a alimentação pré e pós-natal. A criança terá direito a desfrutar de alimentação, moradia, lazer e serviços médicos adequados.


 

Edward Mãos-de-Tesoura (Edward Scissorhands) – EUA (1990)
Direção: Tim Burton

 
V - A criança física ou mentalmente deficiente ou aquela que sofre de algum impedimento social deve receber o tratamento, a educação e os cuidados especiais que requeira o seu caso particular.


 






Esqueceram de mim (Home Alone) – EUA (1990)
Direção: Chris Columbus

VI - A criança necessita de amor e compreensão, para o desenvolvimento pleno e harmonioso de sua personalidade; sempre que possível, deverá crescer com o amparo e sob a responsabilidade de seus pais, mas, em qualquer caso, em um ambiente de afeto e segurança moral e material; salvo circunstâncias excepcionais, não se deverá separar a criança de tenra idade de sua mãe. A sociedade e as autoridades públicas terão a obrigação de cuidar especialmente do menor abandonado ou daqueles que careçam de meios adequados de subsistência. Convém que se concedam subsídios governamentais, ou de outra espécie, para a manutenção dos filhos de famílias numerosas.


Um tira no Jardim de Infância (Kindergarten Cop) – EUA (1990)
Direção: Ivan Reitman

VII - O interesse superior da criança deverá ser o interesse diretor daqueles que têm a responsabilidade por sua educação e orientação; tal responsabilidade incumbe, em primeira instância, a seus pais.
A criança deve desfrutar plenamente de jogos e brincadeiras os quais deverão estar dirigidos para educação; a sociedade e as autoridades públicas se esforçarão para promover o exercício deste direito.
A criança tem direito a receber educação escolar, a qual será gratuita e obrigatória, ao menos nas etapas elementares. Dar-se-á à criança uma educação que favoreça sua cultura geral e lhe permita - em condições de igualdade de oportunidades - desenvolver suas aptidões e sua individualidade, seu senso de responsabilidade social e moral. Chegando a ser um membro útil à sociedade.

 
Jamaica abaixo de zero (Cool Runnings) – EUA (1993)
Direção: Jon Turteltaub

 
VIII - A criança deve - em todas as circunstâncias - figurar entre os primeiros a receber proteção e auxílio.










Jumanji (Jumanji) – EUA (1995)
Direção: Joe Johnston

IX - A criança deve ser protegida contra toda forma de abandono, crueldade e exploração. Não será objeto de nenhum tipo de tráfico.
Não se deverá permitir que a criança trabalhe antes de uma idade mínima adequada; em caso algum será permitido que a criança dedique-se, ou a ela se imponha, qualquer ocupação ou emprego que possa prejudicar sua saúde ou sua educação, ou impedir seu desenvolvimento físico, mental ou moral.

 


Meu primeiro amor (My Girl) – EUA (1991)
Direção: Howard Zieff
 
X - A criança deve ser protegida contra as práticas que possam fomentar a discriminação racial, religiosa, ou de qualquer outra índole. Deve ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância, amizade entre os povos, paz e fraternidade universais e com plena consciência de que deve consagrar suas energias e aptidões ao serviço de seus semelhantes.
 



* Declaração Universal dos Direitos das Crianças


Download:

** Pacote contendo:
- Torrent e respectivas legendas de todos os filmes, exceto "Curtindo a Vida Adoidado", "Meu Primeiro Amor" e "Quero ser grande" que são dublados e por isso não possuem legenda.

- Todos os filmes são em formato AVI, exceto "Esqueceram de mim" e "Jumanji" que estão em formato MP4.

- Alguns filmes eu criei o Torrent, mas como eu não sei usá-lo direito, podem me avisar caso algum filme não esteja baixando. 

- "Esqueceram de Mim" possui os 2 filmes da série.

- "Loucademia de Polícia" possui os 7 filmes da série. 

5 comentários:

  1. Dificil escolher o filme mais divertido, todos são muito bons !
    Destaque (para mim claro) ''Jamaica Abaixo de Zero'', ''Loucademia de Policia'', Te Pego la Fora'' e ''Esqueceram de Mim''

    Abraço.

    FilmeLixo

    ResponderExcluir
  2. Opolápa Apazpe
    Já brinquei e desbrinquei, já fiquei de mal e de bem, já adulteci pra assistir filme impróprio pra 14, já coloquei salto pra tentar ficar grande e ver os de 18, já engoli mentira e desengoli verdade, já jurei e cruzei os dedos pra não ver a mãe mortinha, já virei estrela e dou cambalhotas e ainda nesses tempos ganho doces de Cosme e Damião.
    Enquanto o olho brilhar e fazer brilhar outros olhos não vivemos nem criança e nem adulto nem presente nem passado, acumulamos eternidade onde tudo pode ser encantado.
    Ahh!! Os filmes! - Nuss ... assisti tudo!, Apachopo quepe vimpi prapa dipizepe quepe opo texpetopo quepe vopocepe especrepevepeupu tápa mupu iiipiiitopo bompom. Ospo pipiaspa epe apa cupunhapatãpã dapaquipi manpandampam fepelipicipidapadepes paparapa ospo dapaípi.
    Inpitépé Apabrapaço
    Sopolipi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha "já jurei e cruzei os dedos pra não ver a mãe mortinha"!! Com certeza! E acreditávamos piamente nisso! hehe

      muito obrigado, Soli! manda um abraço para as crianças daí! esse mês é delas e de todos nós!

      abraço
      Az

      Excluir
  3. Grandes clássicos da Sessão da Tarde. Tenho carinho especial por todos eles.

    ResponderExcluir