segunda-feira, 5 de agosto de 2013

71 - Aquele querido mês de agosto (idem) – Portugal (2008)



Direção: Miguel Gomes
No interior de Portugal, o mês de agosto é marcado por diversas festividades, com apresentações de grupos musicais tradicionais e outras atividades típicas. Movido pelo desejo de fazer um filme ambientado neste universo sobre o relacionamento entre membros de uma banda, o diretor parte com a sua pequena equipe em busca de um roteiro e de atores dispostos a interpretar os personagens. Em meio a inúmeras indecisões e falta de verba, toma forma a história de um triângulo amoroso formado por um homem, sua filha e o primo da moça.

Filme para se ouvir. Música para se ver. E Portugal belíssimo, parecendo tão perto.

As cidades lusitanas percorridas mais parecem cidades perdidas do interior baiano, com suas procissões, festas, belas paisagens e serestas. Só faltou tocar Pablo para eu achar que o diretor simulou o seu cenário.

Aquele querido mês de agosto é para começar bem o mês do desgosto. Na loucura de seu diretor, mistura uma ficção esquisita, com um documentário curioso. O resultado rendeu mais desaforos do que elogios. Eu gostei, mas confesso que o que realmente me fisgou foram as belas canções, típicas de um bar do interior, uma cervejinha gelada e o dia correndo sem compromisso.


Download:

6 comentários:

  1. Respostas
    1. obrigado por avisar... já corrigi o link.

      Excluir
  2. O que mais gosto do blog é que tem filmes de diferentes países, continue assim trazendo raridades, abraço.

    Filmelixo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Fernando. Também me divirto com essa volta ao mundo.
      E parabéns para o seu blog, tb. É uma coisa mais trash que a outra. Sensacional!!

      Excluir
  3. Sugestão: para dar um pouco mais de multicolor a esta representação de cinema Português :)

    Embargo (2010), um filme realizado por António Ferreira e adaptado do conto homónimo de José Saramago, rodado em Portugal, numa co-produção entre Portugal, Espanha e Brasil. É considerado como uma “história negra e absurda de que os irmãos Coen se lembrariam”.
    E a comédia em estilo burlesco, América (2010) de João Nuno Pinto.
    Não são filmes de excelência mas tem particularidades muito validas e representam pela diferença dos filmes acima mostrados. Gostei de ambos mas Embargo distingue-se por mérito e combinação de estilo: do que se faz no exterior com um twist tradicional Português. Próprio, Estranho e único um passo na direcção certa para o “Indie” Português.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cinema português é um oceano a ser desbravado. Fico feliz de saber que conheço pouco sobre o cinema de lá... o que significa que existe muita coisa para se conhecer. OBrigado pelas indicações, já estão na lista, pra ver em breve!
      Valeu!
      Az

      Excluir