domingo, 30 de dezembro de 2012

363 - Quebrando o tabu (idem) – Brasil (2011)



Direção: Fernando G. Andrade
Roteiro: Fernando G. Andrade; Ricardo Setti; Thomaz Correa; Bruno Módolo; Rodrigo Oliveira; Carolina Kotscho
Há 40 anos os EUA levaram o mundo a declarar guerra às drogas, numa cruzada por um mundo livre de drogas. Mas os danos causados por elas nas pessoas e na sociedade só cresceram. "Quebrando o Tabu" é um convite a discutir o problema com todas as famílias.

Mais um manifesto positivo para quem defende a revisão das políticas de combate às drogas.
Quebrando o tabu traz questões que qualquer um sabe (ou pode saber), mas muitas vezes despreza: as drogas sempre foram consumidas pelas mais diversas civilizações, em toda a história da humanidade – aliás, substâncias que estimulam o prazer e alteram o estado normal de consciência eram sagradas até pelos cristãos, numa época em que a cultura do vinho era forte. O filme também traz algumas estatísticas e depoimentos de ex-presidentes que assumem os erros cometidos ao priorizar uma política de guerra às drogas, em detrimento da paz – nesse modelo de enfrentamento, o consumo só aumentou, a violência só cresceu e a sociedade só perdeu.
O principal problema do filme é trazer uma visão e uma experiência muito eurocentrista e estadunidense. O pouco que se aproximou da realidade brasileira foi durante algumas falas de Dráuzio Varelar. Mas também, esperar o que de um filme produzido por Luciano Huck e capitaneado por Fernando Henrique Cardoso?
Minha opinião pessoal: qualquer ser humano com o mínimo de consciência é capaz de compreender que toda essa política de repressão não deu certo no país; nem no mundo; nem em época nenhuma. Portanto, é preciso mudar. Que peguemos os exemplos de países mais progressistas como a Holanda e até mesmo o conservador Uruguai, que com o presidente Mujica vem implantando novas experiências em relação à política de drogas.
Ou seja, está na hora de acabar com a hipocrisia e reconhecermos que tais substâncias fazem parte da nossa cultura e assumirmos os prazeres e riscos disso.
Afinal de contas, assim não dá, assim não pode.


Minha nota: 7,7
IMDB:  7,3
ePipoca: 8,8


Download:

6 comentários:

  1. uma pena que esse link esta off, trabalho em uma comunidade terapêutica e gostaria de passar esse filme para os meninos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Francisco,
      vou tentar até quinta reativar o link.
      abraço

      Excluir
    2. Pô, Francisco, vou ficar lhe devendo. Não tenho mais o link desse filme. Mas, se ajudar, tem o link do filme completo no youtube:
      http://www.youtube.com/watch?v=tKxk61ycAvs

      abraço
      Az

      Excluir
  2. Sempre achei estranho a bebida de álcool(Grande tragédia social) ser vendida até em padaria a qualquer hora do dia e da noite,enquanto outras drogas serem proibitivas.Gostaria de viver num mundo onde ninguém precisasse usar nenhum tipo de substância que alterasse sua consciência,mas já que o problema existe o negócio é encarar de frente, e não proibir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ademar. É contraditório um país alcoolatra ser tão conservador na hora de discutir as mudanças na legislação referentes a outras drogas.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir