segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

325 - Pyaasa (Pyaasa) – Índia (1957)



Direção: Guru Dutt
Roteiro: Abrar Alvi
O filme conta a jornada de um poeta e sua desilusão com a sociedade. No caminho aparecem a adorável prostituta Gulabo e o amor de sua infância Meena. Um dos 100 maiores filmes da história segundo a revista Time.

O filme é indiano, preto e branco, de 1957 e tem duas horas e meia de duração. Portanto, não é um filme fácil de ser assistido, precisa de disposição.
Mas, uma vez visto, não dá pra se arrepender.
Pyaasa é um belíssimo filme, que com sua poesia – e a de seu personagem – lamenta a inversão de valores de uma sociedade que é pautada pela ambição e mercantilização das coisas e das pessoas.

Os inimigos da humanidade, este mundo de rituais.
Estes homens que tem como modo de vida o desejo por riqueza.
Por quanto ele venderia, se um homem ganhasse o mundo?
Pessoas com espíritos vazios, com almas feridas. Com olhos vendados e corações amargurados.
Este mundo louco e cheio de problemas.
Por quanto ele venderia, se um homem ganhasse o mundo?
O mundo onde vida é considerada banal. Um mundo onde os mortos são adorados.
Um mundo onde a morte é mais barata que a vida.
Por quanto ele venderia, se um homem ganhasse o mundo?
Um mundo onde a juventude é desviada para o crime.
Um mundo onde os jovens são criados para serem vendidos.
Um mundo onde amor é um sinônimo de comércio.
Por quanto ele venderia, se um homem ganhasse o mundo??
Um mundo onde o homem vale nada.
Um mundo onde lealdade e amizade valem nada.
Um mundo onde amor é considerado com desdém.
Por quanto ele venderia, se um homem ganhasse o mundo??
Queime este mundo, exploda-o.
Queime este mundo, exploda-o.
Levem este mundo para longe de mim.
Este mundo pertence a vocês, fiquem com ele.

E isso em 1957, na Índia.


Minha nota: 7,7
IMDB:  7,9
ePipoca: -


Download:

Nenhum comentário:

Postar um comentário