Páginas

domingo, 30 de setembro de 2012

233 - Os Boas-Vidas (I Vitelloni) – Itália (1953)


Direção: Frederico Fellini
Roteiro: Frederico Fellini; Ennio Flajano; Tullio Pinelli
Numa pequena cidade da Itália, cinco jovens amigos são típicos ''vitelloni'' (inúteis): vivem uma vida boêmia repleta de bebidas e mulheres. Sem perspectivas, cada um deles encontra um modo de escapar da monotonia da vida provinciana. Considerado o primeiro grande filme dirigido por Fellini.

Um filme simples, sem os rebuscamentos e impressão estética típicas de Fellini. A força da imagem é pouco explorada, permitindo que o enredo ganhe destaque.
E a história vale o filme.
Os “boas vidas” são um grupo de jovens (nem tão jovens assim, lá pelos 30 anos) que faz da vadiagem um estilo de vida. Vagar pelas ruas, sem se submeter a um trabalho entediante, se divertir com os amigos, mulheres e bebidas, e deixar que a alegria não dê espaço para preocupações são os mandamentos principais desse grupo.
No entanto, essa vida “perfeita” está sempre sujeita às fatalidades que surgem no meio do caminho. Aos poucos, o destino vai empurrando necessidades no colo dos “boas vidas”, que passam a ter que se adequar a um novo modo de vida, ainda que as responsabilidades tragam consigo uma certa angústia.
Os Boas Vidas é mais uma obra de grande respeito na filmografia de Fellini. Há quem diga que ele é autobiográfico. No entanto, mesmo sendo verdade ou mentira, o fato é que essa história está presente na biografia de qualquer um. Quem já passou pela fase de, aos poucos, ir largando uma vida de irresponsabilidades, despreocupações e imaturidade, e trocou tudo isso por contas a pagar e um emprego, certamente já experimentou as sensações que os boas vidas sentiram, enquanto passavam por suas transformações. (Quase) Todos nós algum dia já fomos “boas vidas” e, inegavelmente, era muito bom.


Minha nota: 7,7
IMDB:  7,9
ePipoca: 6,8


Download:

Um comentário:

  1. ola ! o link não funciona, dá msg de arquivo expirado no servidor.

    ResponderExcluir